Como eram treinados os soldados Espartanos

Como eram treinados os Guerreiros Espartanos

Cultuados e admirados em nossa sociedade moderna, os Espartanos foram um povo guerreiro e militarista, cruéis a sua maneira, conseguiram deixar seu nome na história por sua bravura em batalhas que poderiam ser consideradas perdidas por outros exércitos.


www.fertilmente.com.br - Soldados Espartanos formaram a elite de guerra do mundo antigo
Soldados Espartanos formaram a elite de
guerra do mundo antigo
Tudo isso acontecia porque os Espartanos dispunham do que era considerado o exército mais bem treinado da época, e foi somente por isso que seu nome passou adiante como uma das Cidades Estado mais cultuadas por nossos cinemas. Mas agora vem a pergunta, você faz ideia de quem eram e como eram treinados os soldados Espartanos ?

Nesta matéria vamos abordar os passos que trilhavam os soldados mais bem treinados e temidos da Grécia antiga.

O Nascimento de um Soldado

Os soldados Espartanos eram selecionados ja em seu nascimento, um processo que foi fantasiado no mundo moderno, toda criança filho de cidadãos Espartanos teria de passar por um ritual que incluía um bom banho em Vinho dado pela própria mãe logo depois de nascido, por vezes o banho matava os bebês mais frágeis.

Sobrevivendo ao banho, a criança era levada um conselho de anciãos chamado de Gerousia, este conselho de sábios desempenhava diversos papéis na sociedade Espartana, mas neste momento eles deveriam inspecionar o recém nascido em busca de imperfeições, traços de fraqueza ou doenças latentes.

Reza a lenda que crianças com grandes imperfeições seriam imediatamente arremessadas em um abismo no monte Taygetos, nos casos em que houvesse alguma dúvida quanto a saúde do bebê Espartano, o mesmo seria deixado por vários dias no monte Taygetos, vindo a resultar em sua morte como normalmente acontecia, ou, em raros casos, sua aceitação caso viesse a sobreviver.
"Diversas escavações foram realizadas no monte Taygetos a procura de evidências do infanticídio ali cometido, porém apenas restos de homens adultos foram encontrados, provavelmente foras da lei que ali eram executados pelas autoridades" 
Tendo sobrevivido a este processo de seleção, o bebê poderia então retornar para casa com seu pai, e ser criado por sua mãe até atingir a idade de 7 anos, idade que entraria no processo do sistema Agoge, este era um processo obrigatório para TODOS os filhos de cidadãos Espartanos.

O sistema Agoge (agōgē)

A literatura fala que o sistema Agoge foi inserido inicialmente por um personagem quase mítico de nome Lycurgo, este burocrata desenvolveu o sistema de forma a criar os mais impressionantes soldados que o mundo já vira, este processo era obrigatório para todos os filhos homens de um cidadão Espartano, exceto os primogênitos das duas famílias regentes, que teriam esta como opção, isso acontecia pois estes primogênitos, por lei, seriam os herdeiros da "coroa" Espartana.


O sistema consistia de 3 fazes, e ao final da terceira fase, que terminaria aos 29 anos, o soldado receberia enfim, o título de cidadão de Esparta, ou seja, para que um homem tivesse o título de Cidadão na antiga Esparta, ele teria que obrigatoriamente passar e sobreviver a todo este processo, e só o faria aos 29 anos de idade!


As três fazes deste processo são paídes (dos 7 aos 17 anos) o paidiskoi (dos 17 aos 19 anos) e o hebontes (dos 20 até os 29) 

paídes (paídes)

Nesta fase as crianças eram ensinadas a prestar lealdade a sua Syssitia, que era um ritual que consistia de um banquete, do qual todos deveriam participar. Eles também viviam em grupos sempre supervisionados por um membro mais velho, sua alimentação era escassa, recebiam praticamente o mínimo para que não morressem de fome, e viviam em grandes alojamentos gerenciados pelos membros do sistema Agoge.
"As crianças aprendiam a passar fome desde muito cedo, isso garantiria que eles estivessem acostumados a passar por ela sem grandes problemas, uma vez que era comum durante campanhas militares que os soldados passassem longos períodos com pouca ou nenhuma alimentação"
Seu treinamento nesta fase consistia de algum nível de leitura, instruções militares, treinamentos físicos constantes, lutas entre si e manutenção de seus alojamentos, suas camas, feitas de palha colhida a mão no rio Eurotas, era proibido usar ferramentas neste ponto, então as crianças teriam de arrancar as palhas com as mãos.


Aproximadamente aos 12 anos, os jovens eram encorajados a ter um relacionamento com um jovem soldado mais velho do que eles, esta relação era assim encorajada pois, aos olhos do sistema, facilitaria a transmissão de conhecimento do mais velho para o mais jovem, além de aumentar a lealdade no campo de batalha, visto que os relacionamentos eram muito mais do que apenas amizade.

"As relações homossexuais eram comuns na antiga Grécia, em Athenas e outras cidades estado homens ricos e poderosos costumavam ter jovens rapazes todo depilados como aprendizes, estes jovens também participavam ativamente da vida da sociedade Grega, e esta era considerada uma fase na vida de um homem Grego"

Os jovens desta idade poderiam por vezes participar de campanhas militares apoiando na retaguarda seus exército, recolhendo soldados mortos ou feridos, ou ajudando os soldados mais velhos a transportar parte de seus espólios de guerra.

paidiskoi 

www.fertilmente.com.br -Todo ano a Krypteia aterrorizava os Helotes, escravos dos Espartanos
Todo ano a Krypteia aterrorizava os Helotes,
escravos dos Espartanos
Nesta fase o jovem soldado ja era considerado parte da reserva do exército Espartano, sua participação na Krypteia também era autorizada, a Krypteia era uma instituição Espartana que visava manter a população sempre pacífica e ordeira, eles eram responsáveis por espionar e punir qualquer subversivo à causa Espartana ou ao modo de viver da sociedade Espartana

Também era nesta fase que os soldados passavam a cometer os assassinatos dos escravos da cidade.


Nesta fase os soldados já poderiam participar de batalhas mais brandas, saques e uma série de procedimentos que os Espartanos cumpriam por vezes, porém dificilmente seriam enviados a lutar contra outros exércitos.


Hebontes

Nesta fase os soldados ja estariam aceitos no exército regular de Esparta, poderiam finalmente participar da Syssitia (As refeições coletivas das quais até mesmo os reis de Esparta faziam parte). Para participar da Syssitia por outro lado ainda faltava uma ultima coisa, o soldado se candidataria para entrar na Syssitia, uma votação então teria curso e, no caso de não conseguir entrar em um ano, ele teria direito de solicitar uma nova votação para o ano seguinte.

Soldados que não conseguissem entrar na Syssitia até os 30 anos não receberiam o título de cidadãos Espartanos, podendo então se enquadrar em alguma das outras classes da cidade, nenhuma delas sendo tão vantajosa quanto a de cidadão, claro.

www.fertilmente.com.br - Os hoplitas eram os soldados de elite Espartanos
Os hoplitas eram os soldados de elite Espartanos
Aos 30 anos era lhes dado o direito de morar na casa com sua esposa quando já casados, ou casar se ainda não fossem, embora muitos passassem muitos dias dormindo nos alojamentos militares ou em campanhas militares, a função destes casamentos porém era simples, produzir novos soldados ou, mulheres para produzir novos soldados.

Soldados plenos participavam das principais campanhas militares, lutavam por toda a Grécia para defender a cidade de Esparta, e buscavam riquezas e glória para si e sua cidade



Fontes:

SHARE

About Autor

    Blogger Comment
    Facebook Comment

0 comentários:

Postar um comentário